O blá blá blá de que gravidez não é doença

Olá pessoal! Tudo bem?

Hoje o post continua daquele estilo meio desabafo, sabe? Pois bem, quero falar sobre uma frase muito conhecida por todos e principalmente pelas mulheres: Gravidez não é doença!

Só Deus sabe como ouvir isso pode ser desagradável e quão grande é a vontade de falar poucas e boas!

Por isso resolvi escrever este post, na tentativa de chamar sua atenção para o tipo de engano que esta frase pode causar!

Náusea, vômito, dor de cabeça, pressão alta, pressão baixa, cólicas, dores nas costas, dores nos pés, cansaço, falta de ar, falta de ânimo,… todos sintomas que poderiam se enquadrar em uma lista gigante de doenças, mas são na verdade “consequências naturais” da gravidez.

Quando uma mulher engravida, um turbilhão de hormônios começa a trabalhar e inundar o corpo, estrógeno, progesterona, gonodotrofina coriônica (HCG), melanotrófico, prolactina, ocitocina, são só alguns deles.

Com todos esses hormônios trabalhando a mil por hora o mal-estar começa, os primeiros sintomas são as náuseas e os vômitos. Fala sério minha gente, é fácil enjoar e vomitar horrores nos primeiros meses da gravidez? Ainda há algumas mulheres que desenvolvem um distúrbio e vomitam durante toda gravidez. Ninguém sabe explicar porque enjoamos tanto, há teorias que dizem que o corpo da mulher está protegendo o feto contra possíveis toxinas que ela ingeriu na alimentação e outras que afirmam que as náuseas são causadas por uma possível adaptação do corpo aos hormônios que estão sendo produzidos.

Pois bem , logo depois aparecem as dores nas pernas, nos seios, sonolência, fadiga, prisão de ventre, dificuldade para respirar, azia e por ai vai. A barriga começa a crescer e é lindo sim! Mas desconfortável, sentar pode ser ruim e deitar também, dormir então… uma tarefa super difícil.

O sangue no corpo da mulher aumenta em cerca de 50%, isso significa que o coração bate mais rápido e qualquer atividade física faz parecer que o coração vai saltar pela boca. Os órgãos ficam super espremidos e eu garanto: isso é muito desconfortável.

As dores abdominais podem ser uma parceira durante toda a gravidez, é a expansão do útero, que aumenta de tamanho cerca de mil vezes para poder abrigar o feto. O nosso corpo está se reorganizando para uma longa jornada cheia de mudanças.

Os órgãos ficam apertados nas costas ou pressionados contra o tórax e, além de estarem comprimidos, eles precisam trabalhar em dobro. Para abrir mais espaço, os músculos e ligamentos da coluna ficam relaxados e se curvam.  O estomago é praticamente esmagado e sofre uma rotação de 45 graus, por isso as mães só conseguem ingerir poucas quantidades de alimento.

Ao fim da gestação, quando o bebê já estiver bem maior, ele vai empurrar o pulmão e comprimir a bexiga. É sempre bom estar perto de um banheiro! Os ossos do quadril começam a abrir e é muito comum sentir dores na bacia, no púbis e na região baixa da coluna lombar.

E finalmente chegamos ao parto, seja ele humanizado, normal, induzido, cesárea, enfim, não importa, haverá dor e desconforto por vários dias ainda. Chegamos até aqui! Carregamos uma vida dentro de nós durante meses e realmente isso não é uma tarefa fácil.

Considerando tudo o que a mulher passa e ainda ouvir dizer que gravidez não é doença, como se os “sintomas” fossem só pequenos desconfortos, não é uma coisa fácil de engolir.

Por uma definição técnica, gravidez realmente não é doença, mas não menospreze toda a dor e todos os incômodos físicos que uma grávida sofre. Ter um filho é uma benção, mas o processo é longo e bem árduo, não é toa que as grávidas têm assentos preferencias, filas preferenciais e outras proteções por lei.

É importante respeito e empatia porque gerar uma vida é mais trabalhoso do que muitos pensam e só quem passou por uma gestação sabe o valor das coisas simples do cotidiano, sem dores, cansaço ou uma barriga imensa para atrapalhar.

Por isso, acredito que grávidas merecem todo o nosso respeito e compreensão. Não somente um lugar para sentar ou preferência no atendimento, mas uma consideração que acaba com as piadas sem graça, com os olhares atravessados e com uma sociedade que não sabe valorizar a mulher de forma geral!

Ufa…. acho que acabei…. então é isso pessoal, espero que curtam esse meu desabafo e não deixem de compartilhar. Vamos fazer a nossa parte e espalhar informação pra esse povo!

Compartilhe com a gente os absurdos que você já ouviu ou quem sabe já falou!

Não deixe de curtir, comentar e compartilhar!

Um super beijo e até a próxima!

Deixe seu comentário