O lado chato da maternidade

Olá Adorável Mãe!!! Tudo bem com você?

Essa é a primeira vez que escrevo sobre o lado chato de ter filhos.

Quem me conhece sabe como eu amo ser mãe e não é porque estou esperando um segundo bebê que as vezes não acho tudo isso um tanto chato e estressante.

Uma das coisas que mais me incomoda é o senso de responsabilidade e de obrigatoriedade que carrego nos ombros e que cansa muito, muito mesmo. Algumas vezes, chega a ser desanimador.

Depois da maternidade, eu passei a ser a chata, e não me arrependo nenhum pouco!

Preciso cuidar com os horários da Lis – porque quando todo mundo for embora para suas casas e camas quentinhas, quem vai ouvir choros insuportáveis no carro porque passou da hora de dormir ou acordar várias vezes de madrugada porque não foi dormir no horário correto? Eu! E quem liga pra isso se a responsabilidade é da mãe?

Preciso cuidar com a alimentação da Lis – eu me preocupo muito com o futuro dela e a maioria das pessoas não está ligando se ela será uma “viciada” em doces como a maioria de nós!

Preciso que as pessoas entendam que não quero que digam “NÃO” para a Lis o tempo todo (já escrevi sobre isso no post A Banalização do Não na educação infantil) – mas as pessoas não estão ligando muito para isso, porque a grande maioria foi educada dessa forma e pensar fora do censo comum é responsabilidade dos pais e não de estranhos!

A vida com filhos segue uma rotina frenética e nós, mães, precisamos sempre nos antecipar aos fatos. As refeições são um grande exemplo disso, no café da manhã estamos pensando no almoço, no café da tarde e no jantar. Nosso cérebro parece não ter folga!

E o senso de responsabilidade/obrigatoriedade continua porque as roupas deixam de servir, as roupas sujam, a comida acaba, o bebê precisa dormir, comer, tomar banho, trocar a fralda. O bebê acordou de mal humor,  precisa de colo e é bem provável que ninguém fará isso por você, mesmo quando você estiver cansada, irritada e estressada.

Eu, sinceramente, fico aflita quando penso que eu não posso me dar ao luxo de ficar um dia sem fazer nada, sem pensar em nada, sem me preocupar com o depois. Porque se for assim não terá comida, nem roupa e casa limpa, tudo será um caos!

Sabe aquela sensação de obrigação? Pois é amiga… Não tem pra onde fugir!

Mas, ainda assim, com a Lis chorando e querendo um colo e eu tentando terminar de escrever este post, tendo uma pia cheia de louças para lavar e pensando que logo vou preparar o almoço… não me arrependo nenhum pouco de ter filhos! Ela é minha maior riqueza, minha vida, a cada minuto eu a amo mais e depois que ela chegou eu descobri o verdadeiro amor. É uma frase clichê mas é verdade!

Um abraço, um sorriso, um carinho, um olhar…tudo isso vale a pena! Cada aprendizado, cada fase do desenvolvimento dos pequenos, faz a vida valer a pena!

Ser mãe é conhecer os sentimentos ao extremo! Uma aventura estressante e apaixonante!

Por hoje é isso…

Um super beijo

Se gostou do post deixe seu comentário, curta e compartilhe…

E até breve

Deixe seu comentário