Meu relato de parto

Ter uma “boa hora” é o sonho de qualquer gestante. Planejamos e organizamos inúmeras coisas durante a gestação, mas a hora do parto é sempre cercada de muitas dúvidas e inseguranças, mesmo com um bom planejamento sempre existe um risco de algo sair fora do nosso controle.

Isis estava prevista para nascer no dia 27 de setembro, porém no dia 19, às 00:13, ela resolveu dar o ar da sua graça e a minha bolsa estourou! Eu estava com 38 semanas e 6 dias.

Uau! Já? Como assim? É hoje!!! Incrível que esperamos por tanto tempo por esse momento e quando a hora chega a gente estremece. Hora de ligar para os avós e começar os preparativos para ir ao hospital. Minha mãe mora em outra cidade, então eu precisava esperar ela chegar de viagem para ficar com a Lis, que dormia profundamente.

Estava sem contrações. Liguei para minha doula Flávia, ela me tranquilizou e me passou algumas instruções.

Fui para o chuveiro, tomei um banho longo e quentinho. Delícia!

Depois tentei dormir um pouco, mas quem disse que consigo. Cá entre nós, não deveria ter perdido essa oportunidade, hahaha.

A fome da madrugada bateu e eu fui jantar. Sabia que o dia seria bem longo e precisava de energia. Arroz, carne moída e ovo frito – nada básico! Esse papo de ficar sem comer comigo não rola!

E assim foi. Perto das 3 horas da manhã minha família chegou. Hora de me despedir e ir para a maternidade. Coração a mil! No caminho buscamos nossa querida doula Flávia e partimos os 3 ansiosos para conhecer nossa pequena Isis.

Chegando no hospital, procedimentos normais e burocráticos, estava ansiosa para saber com sobre a dilatação. 2cm. Confesso que fiquei um pouco desanimada porque a essa altura eu já estava com contrações mais frequentes.

Enfim…hora de trabalhar. Naquele dia aprendi com uma enfermeira bem experiente que trabalho de parto é TRABALHO e não descanso de parto. Então bora lá, caminhadas e mais caminhadas, bola, cavalinho e as contrações aumentando! Que maravilha!

Perto das 8 hrs da manhã o médico fez novamente o exame de toque. 4 cm. Não acreditei! Só isso? Fiquei frustrada mais uma vez. Mas não podia me abalar, afinal de contas, o psicológico conta muito para um bom trabalho de parto.

Logo depois o Elton (maridão) sugeriu que eu fosse para o chuveiro. Na verdade, ele já estava me dando essa dica fazia algum tempo, mas eu estava resistindo. Deveria ter dado ouvidos a ele antes.

No chuveiro as contrações começaram a ficar mais intensas e frequentes. Estava extremamente conectada comigo mesma. Eu estava muito consciente das minhas emoções. Me permiti rir, chorar, gemer de dor. Aquele momento era meu!

Elton estava comigo me dando a mão quando precisava e fazendo massagens durante as contrações. Aliás, como foi um alívio essas massagens! Era como tirar com a mão, literalmente!

A hora estava chegando. O box embaçado e eu sozinha lá dentro, mal conseguia ver o que se passava do lado de fora. Naquele momento era eu e Deus.

Flavia me sugeriu que eu ficasse de quatro apoios. Usei uma cadeira para apoiar meu joelho no chão. Na contração seguinte tudo mudou, eu senti uma enorme vontade de fazer força, achei que a Isis iria nascer no chuveiro mesmo. Gritei por ajuda e logo me levaram para a cama. As contrações estavam muito mais intensas e a hora do expulsivo finalmente havia chegado. A enfermeira chegou às pressas, mal conseguiu montar a cama e a Isis coroou. Duas forças e pudemos conhecer o rosto da nossa filha. Foi emocionante! Ocitocina pura! Muito amor! Coloquei ela imediatamente no meu peito e o médico chegou. Perdeu o melhor da festa! Veio para confirmar aquilo que foi uma grata surpresa. Sem lacerações e pontos! Um sonho mesmo!

Pedi que apagassem as luzes e fui respeitada. Aliás, em tudo fui respeitada.

Ter uma doula e um plano de parto foram fundamentais para que eu tivesse um parto tão maravilhoso!

Às 9:34 do dia 19 de Setembro ela escolheu vir ao mundo através de um parto natural, sem intervenções e sem desrespeito.

Minha eterna gratidão a minha querida doula Flávia e ao meu amor Elton, amigo e companheiro de todas as horas. Sem vocês tudo isso não seria possível!

Aprendi que o conhecimento e o empoderamento são nossos aliados! Lembrei-me de como eu sou forte e capaz! Aprendi que o meu corpo é perfeito e confiar nele é melhor a fazer!

Super beijos

One thought on “Meu relato de parto

Deixe seu comentário